Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2018

Discipulado - Ideal e Real

Discipulado - Ideal e Real
Vivendo o discipulado ideal em situações reais
Ementa: Discipulado. Decisões. Escolhas. 
Slides da aula:clique aqui
Texto básico: Daniel 1: 1-21 (NTLH)


No terceiro ano de Jeoaquim como rei de Judá, o rei Nabucodonosor, da Babilônia, atacou Jerusalém, e os seus soldados cercaram a cidade. Deus deixou que Nabucodonosor conquistasse a cidade e também que pegasse alguns objetos de valor que estavam no Templo. Nabucodonosor levou esses objetos para a Babilônia e mandou colocá-los no templo do seu deus, na sala do tesouro. O rei Nabucodonosor chamou Aspenaz, o chefe dos serviços do palácio, e mandou que escolhesse entre os prisioneiros israelitas alguns jovens da família do rei e também das famílias nobres. Todos eles deviam ter boa aparência e não ter nenhum defeito físico; deviam ser inteligentes, instruídos e ser capazes de servir no palácio. E precisariam aprender a língua e estudar os escritos dos babilônios. O rei mandou também que os jovens israelitas r…

Discipulado - Entendendo a maturidade cristã

Discipulado
Ementa: Discipulado. Maturidade. Perfeição Cristã.
Slides da aula:clique aqui
Texto básico: Colossenses 1.28-29 (NAANTLH)
28Este Cristo nós anunciamos, advertindo a todos e ensinando a cada um em toda a sabedoria, a fim de que apresentemos cada pessoa perfeitaEf 4.13 em Cristo. (NAA)

28Assim nós anunciamos Cristo a todas as pessoas. Com toda a sabedoria possível, aconselhamos e ensinamos cada pessoa, a fim de levar todos à presença de Deus como pessoas espiritualmente adultas e unidas com Cristo. (NTLH)

Entendendo a maturidade cristã
Introdução
"O crescimento quantitativo é ruim? Não. Mais do que isso, ele é desejável e necessário. Mas, um crescimento que é apenas numérico é ruim, pois ele carece de uma dimensão qualitativa para ser saudável. De acordo com John Stott, ao analisarmos o cenário cristão mundial, nos dias atuais, precisamos ter cuidado com nossa propensão ao triunfalismo, pois “na maioria dos casos trata-se de crescimento sem profundidade” (p. 33). Fazend…